Nihon

1 em cada 3 espanhóis sofreram lesões musculares, ligamentosas ou ósseas

32 por cento dos espanhóis, entre os 35 e 65 anos, foram vítimas de pelo menos uma lesão músculo-esquelética no último ano, segundo um estudo sobre saúde articular elaborado por Vanir, em parceria com a Fundação Internacional da Osteoartrite (OAFI).


Por sexo, as mulheres (32,4%) são quase um ponto acima dos homens (31,5%). Além disso, dos 35 aos 50 anos, a freqüência de lesões é maior (34%) do que os 51 e os 65 anos (30%). Em relação ao tipo de lesões, a maior parte delas são de origem muscular (66%), seguidas das de ligamentos e tendões (39%), e ósseas (11%).


O documento avalia também a incidência de lesões músculo-esqueléticas com hábitos desportivos. Assim, 69 por cento da população foi realizado esporte no último ano e, destes, 65% o faz pelo menos uma vez por semana, enquanto que 20 por cento de todos os dias e, o restante, de forma mais esporádica. Por sua parte, 71 por cento aquece antes e depois do exercício e a outra metade leva material adaptado quando realiza esporte.


Na área de saúde, os traumatismos e lesões das articulações são o principal motivo (59%) que os inquiridos acreditam que sofre de problemas de saúde articular na idade adulta, enquanto que 43 por cento atribui à genética e 32 por cento dos hábitos alimentares.


Quando se suspeita da existência de uma lesão, 46 por cento da população recorre ao traumatólogo, enquanto 45 por cento se realiza uma checagem geral. Além disso, 42 por cento recorre a um profissional com um mínimo de aborrecimento, mas ainda não há um consenso coletivo em relação à prevenção, já que somente 42% tem consulta com um especialista, se esse desporto que se adapta às suas necessidades e não representa nenhum risco para a saúde.


“O bem-estar físico e a prevenção de lesões é alcançado graças a uma soma de condições: atividade física regular, um aquecimento correto, uma dieta saudável e equilibrada, e a adição de alguma ajuda, como um protetor articular ou um suplemento alimentar quando nos encontramos em uma situação de défice e não conseguimos o desempenho que queremos. É, em muitas situações de fadiga ou estresse físico, quando ocorrem lesões musculares e articulares, e graças a este estudo, foi possível detectar que apenas 17 por cento da população usa algum suplemento para as articulações”, disse a CEO do Vanir, Elsa Genové.

Scroll To Top