Nihon

10 sinais de que pode ser algo mais do que estresse

Os problemas que enfrentamos diariamente podem tirar o pior de nós; ninguém é perfeito e todos, em maior ou menor medida, estamos à mercê dos acontecimentos de nossas vidas.

E nem sempre é fácil saber se a nossa instabilidade emocional deve ser algo mais do que ao stress do dia-a-dia.

Mulher jovem, com dor de cabeça, sentada na cama

Os problemas mentais estão na ordem do dia, tanto em Portugal como em outros países do ocidente. De acordo com a Estratégia Saúde Mental do Sistema Nacional de Saúde, estima-se que entre 25 e 3% da população portuguesa (cerca de um milhão de pessoas) tem um problema de saúde mental grave; e cerca de 9 milhões (15%) apresentam, em algum momento de sua vida um problema de saúde mental, como a ansiedade ou a depressão.

Este tipo de distúrbios tem, em geral, abalos em nossas relações, no trabalho e na saúde física. E, geralmente, são problemas difíceis de resolver: depressão, ansiedade, comportamento ou transtornos de personalidade, transtornos obsessivo-compulsivos, de alimentação, vícios…

E quanto antes o google encontrar os sintomas, o melhor, antes que a coisa vá para pior. Em seguida mostramos 10 sinais vitais que nos alertam para a necessidade de procurar ajuda externa, fornecidos pela National Alliance for Mental Illness (Reino Unido).

Artigo Relacionado

Poderia o stress estar freando seu regime de emagrecimento?

O estresse tem muitos efeitos estranhos e indesejáveis no organismo.

1. O sonho está fora de controle

A disfunção do sono é reveladora de que pode haver algum fator que a cause.

Problemas para conciliar o sono e dormir de novo, ou se dormimos significativamente mais do que o habitual, são sinais de que a saúde mental pode exigir alguma atenção. O sono é uma das funções básicas –e necessárias– do corpo. Tem lógica, portanto, pensar que é um indicador do estado de saúde físico e mental.

Mulher preocupada na cama

Ocasionalmente nos acontece a todos, não descansar adequadamente. Mas se você precisar de comprimidos (ou álcool!) para dormir, ou se você tiver problemas para se levantar pela manhã e a situação se prolonga por mais de uma semana, o corpo está nos dizendo algo.

2. Perda de interesse em coisas que admiramos

Não desfrutar das atividades favoritas de lazer pode ser sinal de estar caindo em um estado depressivo ou de ansiedade ganha terreno. O mesmo acontece se você começa a não se interessar a gente e nós tendemos a aislarnos.

3. Beber demais

Beber mais do que o habitual (ou… consumir “outras” substâncias) para evadir-se são também sinais-chave de que algo no nosso interior precisa de cuidados. O pior de tudo é confiar nessas estratégias, em vez de pegar o touro pelos chifres com o problema que pode estar causando todo.

4. Tudo nos irrita

Estar obsessivamente centrada em o mal de quem nos rodeia, emprendiéndola com os nossos parceiros, amigos, familiares ou colegas de trabalho, ou decidir que a gente é horrível… Tudo isso requer buscar uma explicação: há uma razão para que esteja acontecendo.

Copo de whisky com gelo

A irritabilidade, a agressividade ou mudanças de humor podem ter várias causas: ser a consequência de abuso de álcool (ou outras drogas), a falta de sono ou estar provocadas por quedas de açúcar no sangue. Mas se você tiver comido e dormido bem e não está embriagado (ou excessivamente “cafeinado”) e seu ambiente, continua provocando, podem ser sintomas de um transtorno de conduta ou de personalidade.

As reações desmedidas para problemas menores, junto às volições nas relações de amizade ou amorosas, por exemplo, são um selo distintivo de um transtorno de personalidade; e as mudanças profundas na formação de professores, níveis de energia e agressividade para com o próximo podem ser indicativas de um transtorno bipolar.

Publicidade

Artigo Relacionado

7 maneiras de ajudar alguém com ansiedade

Dizer “não se preocupe” NÃO é uma delas

5. Nos oprime o sentimento de culpa

Você ainda sente rancor por um comentário desagradável sobre você feito há meses? O Preocupado por ser a origem de qualquer tristeza ou frustração alheia? O Convencido de ser um fracassado? Pensar demais as coisas ou se preocupar constantemente com tudo o que há de errado com a sua vida… Os pensamentos desta natureza requerem encarar algo mais sério.

6. Baixo nível de energia

A sensação de esgotamento, fadiga ou a incapacidade de pensar ou agir como antes, estão associadas a problemas de comportamento, como depressão, transtorno de ansiedade generalizada tratamento e esgotamento emocional.

Homem irritado falando no celular em campo

7. Impossibilidade de se concentrar

Você Se esquecem as coisas, ultimamente? Você não é capaz de se concentrar em uma conversa ou em uma reunião de trabalho? Você encontrar-se deslocado? Tudo isso são indicadores de que a saúde mental não está em seu melhor momento.

8. Perda de apetite

Um sinal claro de depressão é a falta de apetite. Vai ligada à perda de capacidade de desfrutar prazeres como comer. Não é surpreendente ver as tiras deprimidas perder peso significativamente. Aqui o que ver alguém com roupas muito folgadas possa ser um sinal de problemas emocionais.

Muita agitação psicológica pode, pelo contrário, desencadear desordens alimentares, e cair em condutas compulsivas de todo o tipo: compulsão, purgas, excesso de exercício ou obsessão com o consumo. Os desvios extremas, fundamentalmente relacionadas com a comida, são sintomas, igualmente, de que algo não vai bem.

Artigo Relacionado

6 coisas que você deve saber se o seu parceiro tem uma depressão

Foi diagnosticada com depressão ao seu parceiro. E agora? Qual é o seu papel e o que deve fazer para viver com ela e a sua doença?

Publicidade

9. Não poder ficar sentado

Empreender todo o tipo de actividades, ocupar todos os minutos do seu tempo livre com qualquer tarefa, ansiedade por manter-se em constante atividade… Na verdade, nós podemos estar evitando fazer algo muito mais emocionalmente convincente.

10. Priorizar a pergunta ” o que e para que?

Perguntar se a vida vale mesmo a pena, não ter propósitos neste mundo ou sentir que as suas relações e interesses não significam nada… São sinais infalíveis de que algo está muito mal.

Na realidade, deve procurar ajuda antes de chegar a este ponto.

Mãos levantadas

O que fazer se acontecer de tudo isso

1. Não entre em pânico

Não se deve pensar nada parecido com “tudo está perdido”. O seu médico de família pode ajudá-lo neste terreno e, se não é considerado capaz ou entende que escapa à sua competência, lhe encaminhada a um profissional de saúde mental. De forma que a consulta ao seu médico de família deve ser o primeiro passo. E, se, efetivamente, se encontra ou se suspeitar de um problema mental, de novo, nada de pânico. Existem muitos tratamentos de ajuda, todos mais experientes e amparada por estudos muito sérios.

2. Confiar em ninguém nos próximos vai nos julgar

É muito importante para a saúde mental fortalecer os laços sociais. Quanto mais sólidos forem, mais preparados estaremos para superar as dificuldades. Além disso, acumularemos experiências positivas com outras pessoas e nos farão esforçar-se em dar a vida em todo o seu significado.

Há que considerar também a possibilidade de aderir a um grupo de ajuda. Não há nada de que se envergonhar, se buscamos ajuda para superar os problemas. E dado que os problemas mentais sérios não vão resolver da noite para o dia, quanto mais cedo lhes fazermos frente à procura de ajuda antes poderemos sair do túnel, e recuperar o controle de nossa própria vida. (A consulta com um profissional indicará qual o especialista é o mais adequado para cada caso.)

3. Evitar maus hábitos

Há que se assegurar de não ter hábitos prejudiciais, globalmente: fumar, muito açúcar, cafeína, álcool e outras substâncias, não dormir bem, não fazer um pouco de exercício, muita comida lixo e pouca fruta e legumes… Tudo isso é prejudicial para a sua forma física e, portanto, mental. Lembre-se: mens sana in corpore sano.

Dr. Salvador Pertusa Martínez, Médico de Família. Diretor Médico de NetDoctor. Atualizado: 13-09-2016

Scroll To Top